CONSÓRCIO: vale a pena? – Ramiro Responde #46

Consórcios! Como é que eles funcionam? Vale a pena? Meu nome é Ramiro Gomes Ferreira, eu sou Planejador Financeiro CFP e cofundador do Clube do Valor. E no vídeo de hoje, o 46º vídeo da série “Ramiro Responde”, eu vou falar um pouco mais sobre consórcios, para responder à dúvida do Mário, que comentou mais ou menos assim: parabéns pelo trabalho – valeu, Mário – e perguntou “é possível fazer um vídeo sobre consórcios? Meu irmão adora, mas eu tenho dúvidas. Muito obrigado. Eu que te agradeço pela sua pergunta, Mário, estava há um “tempinho” já querendo falar sobre consórcios aqui e a tua pergunta foi a deixa que eu precisava para fazer um vídeo. Se o conteúdo parece interessante para você, fica aqui comigo até o final. Se você não é inscrito no canal, inscreva-se, deixe o “like”, clica no “sininho” e “bora lá” para o conteúdo.

Como todos os vídeos da série “Ramiro Responde, eu começo com alguns pontos básicos, para ficar todo mundo na mesma página, todo mundo com o mínimo de conhecimento prévio antes de eu passar para o restante da resposta.

O que é um consórcio?

É uma reunião de pessoas, físicas ou jurídicas, mas, em geral, físicas, que fazem uma poupança comum – depositam dinheiro todos os dias para fazer uma poupança – e, todos os meses, uma dessas pessoas – ou mais – vai ser contemplada com o dinheiro, do valor da carta de consórcio, que deve ser destinado à compra de algum bem.

Então, o objetivo é dar acesso a essas pessoas ao mercado de consumo, ou seja, para quem quer – e serve – está adequado para quem quer adquirir algum bem, embora existam já alguns consórcios para contratar serviços, mas, o principal, é para bens. Em geral os mais comuns são consórcios para comprar um imóvel ou um carro, embora você já vai ver que existe uma outra série de consórcios no Brasil. O que é possível comprar com um consórcio? Eu comentei aqui agora: alguns bens materiais, como automóveis e imóveis, motos, caminhões, náuticos, embarcações, máquinas, equipamentos para empresários e, até mesmo, instrumentos musicais e também serviços, como o consórcio de saúde, educação e turismo, embora os principais sejam para automóveis, motos e imóveis. E, por fim, nessa a parte básica, como é que funciona o contrato de um consórcio?

Como funciona o contrato de um consórcio?

Ele é um documento que possui as regras do consórcio, uma lista dos direitos e deveres dos participantes, os valores mensais que você vai ter que arcar e também o prazo total desse, grupamento de consórcio e para você ser contemplado.

Como é que funciona, um “pouquinho” melhor, um consórcio? Todo mundo que faz parte do consórcio – que são chamado de consorciados – contribuem para a formação de um fundo comum. Todo mundo paga uma mensalidade, a administradora junta essa mensalidade e, em prazos determinados, acontece a contemplação. Esse prazo, em geral, é de mês em mês e, às vezes, é mais de uma pessoa contemplada por mês.

O que é contemplação?

É o direito de você usar parte do fundo para comprar o seu bem ou o seu serviço. A contemplação acontece de duas formas: por sorteio, todos os meses, em geral, e via lance, que é como se fosse um leilão em que você pode adiantar pagamentos futuros, e se você for a pessoa que precisa adiantar mais pagamentos futuros, deu o maior lance, você pode também ser contemplado, e aí depende muito de cada carta de consórcio. Então, pode ganhar pela sorte ou antecipando, também pela sorte ou pelo dinheiro, ser contemplado. Existe uma figura aqui, que é a administradora do consórcio, que é a empresa responsável por cuidar e administrar o grupo.

Essa empresa, ela tem que ser autorizada pelo BC, pelo Banco Central do Brasil, que normatiza e fiscaliza todo o segmento, todas as regras que a administradora tem que seguir. E também existe uma figura da assembleia, que são as reuniões organizadas pela administradora, justamente para fazer sorteios, para receber os lances e para prestar contas aos consorciados. Pois bem. Já que aqui estou falando de características, vamos falar um pouco mais de características financeiras.

Qual o custo para participar de um consórcio?

Como você sabe muito bem, “não existe almoço grátis” e, sim, a administradora tem que cobrar por fazer esse trabalho e a custos. Existem dois principais: a taxa de administração, que é o percentual, que é a remuneração da administradora, em geral, fica entre 15 e 20, 21% e o fundo de reserva, que é um percentual para garantir o funcionamento do consórcio, se começar a ter muita inadimplência ante os demais consorciados e no final do contrato é devolvido o valor do fundo de reserva, de forma proporcional, a todos os consorciados. Vou dar um exemplo para que você entenda um “pouquinho” melhor essa dinâmica de administradora, de custos, etc. Vamos pensar em um consórcio com o prazo de 60 meses, para adquirir um carro no valor de 30 mil reais e que tem um pagamento mensal, ao longo desses 60 meses, com uma taxa de administração de 15% e 2% de fundo de reserva.

Qual vai ser a sua parcela mensal?

Vamos lá! É 30 mil reais, dividido por 60 meses. Então, vai partir dos 500 reais, mas tem o ônus da taxa de administração e do fundo de reserva. Então, como é que a gente faz? A taxa de administração, ela é de 15%. O 15% é aplicado sobre o valor da carta. Então, a gente tem 30 mil reais vezes 15%, que daria 4 mil e 500 reais de taxa de administração, ou, se você for dividir, 75 reais por mês. Então, toda a sua parcela vai estar te custando 75 reais para a administradora.

Tem também o fundo de reserva, que é 2% sobre o mesmo valor total. Se botar aqui em cima 2%, vai dar 10 reais por mês ou um total – se a gente não for pelos 60 meses – de 600 reais. Calculando o valor total da parcela, a gente pega o valor do bem, divide pela quantidade de meses, que vai dar 500 reais, soma a taxa de administração, soma o fundo de reserva e todos os meses você pagar 585 reais.

Você pode ser contemplado no primeiro mês e aí vai ter financeiramente valido a pena, porque você pagou 585 em um bem de 30 mil, vai ter que seguir pagando, 585 até o último mês, mas já pega bem no início, mas também pode ter o azar de ser sorteado mais para o final ou até mesmo no último mês. Então, você pagou 5 anos e só depois foi contemplado. Isso é comum. Em consórcio tem que contar com a sorte para que a operação, financeiramente, valha a pena. Via de regra, não vai valer e eu já vou chegar nesse ponto.

Consórcio é investimento?

Antes de falar se vale a pena ou não, é investimento? Não, não é investimento. Está longe de ser um investimento. O que consórcio é? É uma forma organizada de poupar dinheiro, de te forçar a guardar um “dinheirinho” todos os meses. E por que não é investimento? Primeiro: o dinheiro não rende. Você está pagando, vai ter acesso ao mesmo valor total, mais a taxa administração, então, você vai acabar comprando o bem por um valor, mais ou menos, via de regra, 20% superior ao valor desse bem. E ainda pode demorar para ter acesso a esse bem. Então não tem até alguns benefícios do próprio financiamento.

Embora um consórcio seja mais barato que um financiamento, você pode demorar um certo tempo para ser contemplado e se o lance que você quiser dar para ganhar o contemplamento por lance, por, pelo lance mais alto, for muito alto, sei lá, 70%, você pagar quase o valor total do bem, que é 20% mais caro que esse valor do bem, para ganhar ele rápido. Então você realmente vai ter que contar com a sorte.

Já “preparei o terreno” para falar que, na minha visão, não vale a pena. Mas, antes disso, quero te mostrar um pouco o que alguns podem argumentar como vantagens e desvantagens. Uma vantagem, aí sim, se comparada ao financiamento, muito boa, é a menor burocracia e também o custo mais baixo. Essas duas aqui são, na comparação, no “tête-à-tête” entre consórcio financiamento.

Embora tenha a desvantagem que você não tem acesso ao bem, tem que ser sorteado, ter sorte. Vai ser sorteado, mas, dentro dos 60 meses, pode ser no 30º, 36º, enfim, vai ter “pagado” bastante, vai ter pago bastante, via de regra, além de ser sorteado. E outros falam que é uma forma de se forçar a poupar.

É um argumento muito forte que não me agrada e depois vou explicar um pouco o porquê, mas, já adiantando, quem precisa se obrigar a entrar em um negócio para comprar um bem, para se forçar a poupar, sinto em dizer, mas, o máximo que você vai conseguir é comprar esse bem, não vai conseguir formar um patrimônio grande o suficiente para viver de renda no futuro. A disciplina tem que vir de dentro e não de fora, imposta por uma administradora de consórcios.

Quais são as desvantagens do consórcio?

Não é um investimento, então não confunda. É uma forma simples de adquirir um bem; tem suas vantagens sobre o financiamento; tem contar um pouco com a sorte; é mais barato que o financiamento, mas, o dinheiro não rende e tem a tal imprevisibilidade da contemplação, que eu já citei aqui e, de certa forma, um risco para quem não cumprir com o pagamento mensal, para quem for inadimplente.

Então, evidentemente, se você entrar com, pague “lá”, todos os meses, “certinho”, pelo amor de Deus… Minha opinião então, não sou o maior fã do mundo, embora eu entenda quem tenha, mas, por que não sou fã? Porque esse argumento de poupança forçada, que é o mesmo do título de capitalização, só que aqui com foco em consumo, não me agrada muito. Você pode falar: “pô, mas eu não tem disciplina para isso, eu preciso disso para investir”.

Então fica aqui um recado meu: se você não quer desenvolver uma disciplina para poupar é muito provável que você vá ter problemas financeiros e esse problema pode ser até mesmo ao longo do consórcio, você pode se tornar inadimplente, se você não tem disciplina. E se você consegue sobreviver ao consórcio, depois, se você precisa de alguém te obrigando a fazer um pagamento para conseguir poupar, vai ser difícil de montar uma carteira de investimentos que vá te proporcionar tranquilidade financeira, então você vai ter que desenvolver essa disciplina, com ou sem consórcio.

Segundo: tem um custo de oportunidade do dinheiro. O dinheiro que você está aplicando lá, você poderia estar investindo no mercado financeiro, até mesmo em opções conservadoras, que teriam o seu rendimento e, no final das contas, você compraria o bem não só pagando 100% dele, em vez dos 120, que você vai pagar, via de regra, no consórcio, como pagando um pouco menos do que isso, porque esse dinheiro vai estar investido, vai estar rendendo e você pode comprar antes.

Financiamento de Imóveis?

E para quem está pensando no consórcio como uma alternativa ao financiamento imobiliário, saiba que sim, o consórcio é mais barato, com essa diferença que você não tem acesso ao bem na hora, mas existe uma outra forma que eu explico em um vídeo, cujo link está aqui na descrição, que é viver de aluguel por um tempo e pegar a diferença que você estaria pagando no financiamento, investir essa diferença no mercado financeiro e, posteriormente, comprar à vista esse imóvel, sem depender de sorte, dependendo apenas da sua disciplina, apenas do seu planejamento, que, financeiramente falando, é a melhor opção.

Eu deixo bem claro aqui que é financeiramente porque tem muita gente que não suporta a ideia de morar de aluguel, ou risco do locatário te tirar, enfim, todos os problemas que existem em morar de aluguel. Então, esse aqui é meu vídeo sobre consórcio. Ele tem vantagens importantes em relação ao financiamento, embora tenha a desvantagem do fator sorte. Em relação a investimentos, de forma alguma.

Conclusão

Investir vale muito mais a pena, como forma de investimento não é uma forma legal, não é um investimento, mas, sim, ele pode ser útil para você, não adianta só “botar pau” aqui. Essa aqui é a minha visão em relação ao consórcio, é a minha visão pragmática, financeira, que eu queria compartilhar com vocês. Se você quiser se aprofundar tem um artigo completo no Clube do Valor sobre consórcio, só procurar “consórcio Clube do Valor” e o vídeo que eu a pouco citei. E se você chegou até aqui e gostou da forma de organizar o conteúdo, gostou do conteúdo em si e quer ter acesso a esse mapa mental em formato PDF, clique aqui também, no link que vai estar aqui em cima e na descrição nesse vídeo e baixe, gratuitamente, esse e todos os PDF’s da série “Ramiro Responde”, beleza? Eu vou ficando por aqui. Agradeço a sua participação. Um grande abraço e até a próxima. Tchau, tchau!

Passo a passo como investir no Mercado de Forex utilizando robôsEU QUERO!
+ +